03 outubro 2008

crises e analogias, diz que tem uma...

depois de 13 rodadas na primeira posicao o referido time perde de forma humilhante para o grande rival, fica pra tras na tabela e ainda revela todos os seus pontos fracos: plantel limitado, técnico obtuso, defesa em linha, goleiro inseguro e atacantes previsíveis, sonolentos e pesados. Sem craques, sem esquema e sem lampejos de criatividade, chegou até aqui, porque a conjuntura era favorável e seguindo a mesmissima cartilha: métodos surrados de endividamento, crescimento do grupo de jogadores convencionais, obscuros e sem valor no mercado, mercado aliás, que foi sempre odiado e questionado, agora, a antecipada e previsivel crise, confirma o diagnóstico, folha de pagamentos abusivas e sem criterios de mérito, técnico com práticas do século passado, patrimonialismo messiânico e vestuário eivado de lugar comum, conformam mais um fracasso, mais uma campanha sem glórias, mais uma etapa perdida...

2 comentários:

Amy Mizuno disse...

boa analogia. entretanto, voltamos ao topo. =P

Diego da Silva Rodrigues disse...

É... pelo visto a crise vai passar rápido. Se a analogia fosse mais considerada, os investidores estariam mais otimistas.

Abraço!