23 janeiro 2009

eu prometo, tu pagas...

Difícil ficar insensível a mais esse anuncio salvacionista, uma empresa pública, raspa o tacho para blindar a economia contra a crise, em tempos de queda do preço do barril, a famosa por seus investimentos gloriosos nas terras alheias, promete aumentar a capacidade de produção. Mesmo o mais ingênuo gestor ficaria atônito com tamanha irresponsabilidade. usar uma estatal para atingir as metas do PAC não é algo que honre a imagem de qualquer governo, agora, não existir nenhum mecanismo de controle que consiga avaliar ou discutir tamanha farra, é assustador, como pode poucos controlar tanto poder com recursos da sociedade e sem um critério objetivo de avaliação da gestão e do uso dos recursos? A continuar nesse ritmo, teremos um retrocesso canônico, sairemos da crise mais pobres, endividados, sem moeda e com uma piora generalizada dos indicadores sociais, e não será por culpa do desemprego ou do desaquecimento global...

Um comentário:

Angelo M. Fasolo disse...

"usar uma estatal para atingir as metas do PAC não é algo que honre a imagem de qualquer governo"

Sabe o que eu acho pior disto tudo? É que uma realocação do orçamento ganhe um nome e pareça ser algo que não existia antes. A partir daí, qualquer mudança feita por governos não associados ao atual passará a ser vista como "um corte nos investimentos", ou algo do gênero.

Um abraço!