22 novembro 2009

ler e viver

leio na revista da folha que a casa completa sessenta anos de vanguarda, mesmo nao sendo um oximoro, o sempre nunca antes do bicaco, é estranha a construcao, afinal vanguarda e tradicao andam na contramao, a mesma contramao que impede o fluxo normal das idéias, e que anda soberbamente nas maos do plenário que ao julgar, transfere o poder absoluto para o executivo. Nao entendo muito dessas coisas, devo confessar, mas soa estranho esse rito processual, isso, essa estranha jeguice, que perdoem os jegues, reforça ainda mais o meu ardor parlamentarista, numa sub-representaçao com tantos desequilibrios como a nossa, prefiro, do veroo defender, o parlamento bicameral com primeiro-ministro da maioria e governo do povo, ou algo assim, mas tambem confesso a minha falta de conhecimento aqui, pensando bem, sei muito pouco da lingua patria e de outras tambem, o que nao me impede de cometer impropérios quando a folha digital provoca a turba com seus clichês, que, admito, sao meus, todos os lugares-comuns são meus, inclusive aquele que acabo de cometer, em anaximandros ou outro método de contagem de sonoridade e expressividade das palavras, afinal viver e ler, escrever e, vez ou outra, entender, sao os predicados da minha frase curta e sem glórias, o resto são conflitos que tambem nao entendo e que renego, francamente,,,,

2 comentários:

... Duilio de Avila Bêrni, disse...

aí, rapaz!
simplesmente adoro este tipo de texto, de estilo, de finesse!
DdAB

Anaximandros disse...

Duilio, nao consigo ver nada disso, mas acredito sinceramente na tua generosidade, muito obrigado.