05 agosto 2005

Primicério

Ventura, a boa ventura, diz que a democracia pode dispor de liberdades consensuais no voto, não há um entendimento claro ainda, mas parece que a noção de liberdade absoluta não pode vigorar num mundo livre e apenas outra liberdade pode restringir outra liberdade e que a liberdade é o principio básico e primeiro da justica como igualdade equitativa de oportunidades do Rawls. Ainda que precário a noção elementar de eficiência economica nao é suficiente para definir uma alocação justa. Alocações justas nao precisam ser eficientes e alocações ineficientes podem ser justas, mas ainda temos que entender ou definir ou precisar (sempre precisamos apesar de imprecisamente confudirmos) o que vem a ser uma distribuição justa, será possível uma justiça ineficiente ou necessitamos de um arranjo melhor para todos que ainda assim consiga nao dispor de uma noção paretiana de eficiência??? O vasto mundo da dúvida sistêmica ou sistemática ainda nao dispõe de uma resposta inequívoca, mesmo sabendo que um tratamento mais lógico e preciso, (quem nao precisa?) demanda tempo e rigor formal....

Um comentário:

Claudio disse...

Nada mais justo, Sabino. rsrsrs